Férias no Chile Parte II - Hotel Orly

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015


Eu não conhecia Santiago e não tinha a menor ideia de onde ficar. Pedi ajuda para a minha amiga Monica (oi, Mo!), que tinha feito intercâmbio lá, e ela recomendou o bairro em que ela morava, Providência. Segui seus sábios mandamentos e escolhi o Hotel Orly, no cruzamento da Providência com a Pedro de Valdívia. A localização foi realmente muito boa: conseguimos fazer tudo a pé e de metrô.

O hotel é um tanto...pitoresco. O prédio principal (foto da capa) é bem antigo (como praticamente tudo lá) e pequeno, com um estilo francês e aconchegante. Tem uns quatro andares, abriga a recepção, a administração, o local do café e alguns quartos.




O outro é no mesmo quarteirão, mas do outro lado da rua e na outra esquina (uns 200m). Apesar de também antigo, o estilo é mais contemporâneo e os quartos, totalmente reformados. O mais estranho é que este prédio não é totalmente ocupado pelo hotel. Alguns andares são de moradores. Além disso, não há recepção neste. Tem um porteiro, mas a porta fica aberta e ele só está lá de vez em quando. É preciso ir ao prédio para tomar o café da manhã (7h-10h) e falar com os funcionários. A limpeza do quarto é feita diariamente como em qualquer hotel e há um concierge para levar suas malas para o quarto. Para mim, o único ponto negativo do "puxadinho" seria andar no frio/chuva/neve de manhã para tomar café!

Prédio "secundário" do Hotel Orly
Os quartos estão mais para flats. O nosso (Apart King 3) tinha sala de TV/jantar, (mini) cozinha equipada/lavanderia, corredor com armário, quarto com uma cama de solteiro e um sofá-cama de solteiro (é muito difícil encontrar quartos para três pessoas em Santiago!), quarto com cama de casal e móvel com TV, WiFi grátis, um banheiro e calefação/ar condicionado. A única questão a reclamar do quarto é a do chuveiro. É aquele que fica em cima da banheira, meio baixo (não para mim, pois tenho só 1,63m), escuro e não sai muita água - oops, não tirei foto.

A geladeira acabou sendo cortada, mas ela está ao lado do microondas! E sorry, mas tive que cobrir a minha pose idiota no 'meu' quarto hahaha

Um ponto crítico do Hotel Orly é a piscina. Ou a falta dela. Lá estava muuuito quente e a gente ficava cansado demais para fazer algo à tarde, mas ainda era cedo para não fazer mais nada. Uma piscina teria caído muuuito bem no final do dia (lembrando que lá só escurece às 21h no verão)! Principalmente para quem vai levar as crianças!

Algo que não fez diferença para nós, mas é importante ressaltar é que lá não tem restaurante! Há o café-da-manhã das 7h às 10h - com sucos, pães, frutas, iogurte e sucrilhos - mas não servem almoço nem janta. Não tenho certeza, mas acredito que também não ofereçam serviço de quarto. Pelo menos há frutas, chá e água aromatizada disponível para os hóspedes durante o dia todo!

Lanche da tarde no Hotel Orly

Para você que ficou com preguiça de ler os seis parágrafos anteriores (como eu consegui discorrer tanto sobre um hotel!?!? Eu culpo o GVnês...): recomendo o hotel para quem for andar de metrô e quiser uma boa localização, precisar de quartos para três pessoas e não se importar com a falta de piscina e restaurante! Eu diria que ele é tipo um flat com serviço de hotel e café-da-manhã incluso por um preço justo.


Já conheciam o Hotel Orly? Indicam algum outro?

Um comentário:

  1. Muito lindo o hotel. Me surpreendeu ter cozinha... como você disse, está mais pra flat mesmo hauhauhau. O que me lembra de um hotel que fiquei em São Paulo uma vez, o quarto era nesse estilo, tinha cozinha americana, sala, um quarto super grande... Deu até vontade de morar lá hauhauhau.

    http://www.cerejasnotopo.com

    ResponderExcluir