Férias no Chile Parte IV - Valparaíso e Viña Del Mar

28.1.15


A primeira vez que ouvi falar da cidade Viña Del Mar foi em um episódio de Married to Jonas, em que os Jonas Brothers foram para lá participar de um mega festival de música. Quando comecei a procurar o que fazer no Chile, lembrei disso e fui pesquisar a respeito. Descobri que a cidade é visita obrigatória dos turistas (brasileiros, pelo menos) e que é grudada à Valparaíso, conhecida como a versão chilena de Caminito (e Olinda).

Dá para ir de carro, ônibus ou com um tour. Como só iríamos passar o dia, escolhemos a última opção. Comentei aqui que tínhamos agendado com a TurisTour, mas cancelamos devido àquele probleminha. Acabamos indo de metrô até o terminal rodoviário para pegar um ônibus para Val #intimidade.

Logo que chegamos na rodoviária, fomos pegos pelo radar de uma chilena da RodoTour, que veio correndo nos oferecer um passeio para lá. Como outros brasileiros estavam comprando com ela também, resolvemos arriscar.

O ônibus foi do terminal direto para o porto de Valparaíso. Não tenho muitas fotos porque estava ocupada segurando o vestido e o cabelo. Estava frio e ventava muuuito. Sugiro ir de calça e levar um casaquinho! De lá dá para ver todo o morro. Eles dizem que não é favela, mas há algumas construções muito precárias e em lugares com risco de deslizamento (lembre que lá tem terremotos). As construções são bem coloridas, e é daí que vem parte do charme da cidade.


Fizemos outra parada logo ao lado do porto para apreciar o descanso dos leões-marinhos, que "pulam" para esta estrutura (deixada aí no meio somente para eles) quando a maré sobe para descansarem no solzinho.


De lá fomos para o centro - que achei bem sem graça - e depois subimos para La Sebastiana, uma das casas-museu de Pablo Neruda. Há apenas meia hora para fazer esta visita e nós decidimos ficar do lado de fora apreciando a vista. Se você for fã de literatura ou do Pablito #intimidade2, procure outro tour ou vá sozinho!


A próxima parada foi já em Viña (você pode ir de trem de uma para outra se for por conta própria, deve ser menos de 15min), a cidade praiana mais agitada do país. Eu tinha pensado em levar biquíni, mas felizmente mudei de ideia. Além de a água ser super gelada (~15°C), não dá tempo de ficar na praia nem mesmo para se bronzear! Primeiro tiramos fotos na entrada da cidade, em frente ao relógio e ao globo, e depois fomos almoçar e dar uma volta pelo calçadão.

Os hotéis/prédios na orla chamam muito a atenção. Como o morro é logo em frente à praia, eles tiveram que se adaptar e construíram tudo em cascata! Até elevador/trenzinho nas laterais têm! A dúvida que fica é: os apartamentos do meio não têm janelas??




E o que dizer do guarda sol de palha que lembra o cabelo de uma criança (ou a filha do primo Itt da Família Addams)?? Ou do modelito que a mulher abaixo usou em pleno verão para andar no calçadão??


Voltando ao que interessa...(como se este post já não estivesse longo o suficiente!), depois o tour nos levou ao Museo Fonck, com estátuas de pedra da Isla de Pascua. Eles dizem que dá tempo de visitar pois é bem pequeno. Nós não entramos e, enquanto fiquei tirando fotos do lado de fora, meus pais foram bisbilhotar uma loja de jóias com Lápis Lazúli, uma pedra preciosa azul (e super cara).



A próxima e última parada foi no Parque Quinta Vergara, aonde ocorre o tal festival de verão (veja aqui sobre o de 2015) do qual os Jonas Brothers (e outros cantores internacionais e famosos) já participaram. O anfiteatro aonde ocorrem as apresentações é aberto e tem tubos de ferro, cujo efeito de diapasão proporciona uma acústica perfeita (meu pai que ditou esta última sentença haha). O que mais choca é quando o guia conta que o terrível terremoto de 2010 foi uns trinta minutos após um show deste festival (imaginem o estrago que teria sido com tanta gente lá)! De lá, o ônibus nos deixou no terminal e voltamos para Santiago.

Saímos do hotel umas 8h e voltamos umas 20h (umas 6h nas cidades). Não conhecemos nem metade do que estas cidades têm a oferecer, mas eu gostei do passeio e recomendo ir com a RodoTour se você não tiver muito tempo ou não estiver interessado em ficar mais de um dia na costa. Vale lembrar que as entradas dos museus e o almoço não estavam inclusos no preço do tour.


Gostaram da praia chilena? Semana que vem vou falar um pouco mais de Santiago!

Você talvez goste

1 comentários

  1. Que delícia! Bateu uma nostalgia lendo sobre seus passeios...

    ResponderExcluir

Siga no Pinterest

Curta no Facebook