Férias no Chile Parte III - Vinícola Undurraga

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015


Um dos passeios mais populares entre aqueles que vão ao Chile no verão é a visita a uma vinícola. Eu não bebo vinho e não sei nada sobre o assunto. Mas meu pai curte o negócio, então sabia que iríamos a alguma. Só não sabia qual. Perguntei para a Monica, para a minha tia e, obviamente, para o Google.

Eles me contaram que
. Concha y Toro (do famoso vinho Casillero del Diablo) era a mais comercial e a mais perto de Santiago, dando para ir de transporte público + táxi.
. Undurraga era conhecida, mas menos comercial e mais completa do que a anterior
. Santa Rita era muito legal, tinha tour com almoço, mas era meio longe

A escolhida (pelo meu pai) foi a Vinícola Undurraga. Fomos com a TurisTour, que nos pegou no hotel e nos levou a um ponto onde outros ônibus com turistas de outros hotéis aguardavam. Separaram as pessoas que iam para cada tour e o pagamento deveria ser efetuado ali mesmo. Após algumas tentativas fracassadas de passar o cartão de crédito do meu pai (e ficar olhando ele digitar a senha), o moço acabou fazendo a cobrança por telefone. Um casal australiano que ia no mesmo tour pediu para o chileno virar para o outro lado pois ele estava olhando novamente! Simplesmente deu risada e pediu desculpas. Tudo meio certo até aí.

Não sei como foi o caminho até a vinícola (que demorou 1h ), já que dormi durante todo o trajeto (ida e volta haha). Chegando lá, eles dividiram as pessoas em tours em inglês e em espanhol. Enquanto esperávamos começar fomos dar uma olhada na lojinha. Não compre vinhos lá, pois são mais caros do que no supermercado! Tinha souvenires também, mas nada muito interessante.

A maioria das pessoas do nosso grupo era brasileira, por isso o guia falava em portunhol, traduzindo algumas palavras para o português. Então não se preocupe se você não entende bulufas de espanhol! 




Durante o tour, o guia mostra a vinícola, conta a história (e as lendas) dela, fala sobre o processo de cultivo das uvas (e as diferenças entre as folhas delas) e fabricação do vinho. No final, há uma degustação de quatro vinhos (Aliwen Sauvignon Blanc, Sibaris Carménère, Founder's Collection Cabernet Sauvignon e Undurraga Late Harvest) e o copo fica pra você! Eu gostei de um só e no final já estava tontinha haha.



O tour dura umas 4h no total, então, se você se programar direitinho, consegue visitar duas vinícolas no mesmo dia. No final da tarde, o celular do meu pai notificou uma segunda cobrança! Tínhamos reservado com a mesma empresa para ir para Valparaíso/Viña del Mar no dia seguinte, então, quando o motorista chegou para nos pegar de manhã, meu pai sugeriu pagar apenas a diferença (já que este era mais caro). Ele não deixou, então desistimos do passeio. O hotel ajudou o meu pai a mandar um email para a empresa explicando o acontecido e pedindo o estorno, que foi realizado no dia útil seguinte.

Não é um passeio barato - na singela opinião desta dura/pão-dura que vos fala - mas eu achei que valeu a pena de tão bonito! Recomendo mesmo se você estiver mais para cachaceiro do que para amante do vinho! Apesar do probleminha que tivemos com a TurisTour, deu tudo certo no final, então, se quiser ir com ela, vai com fé! Só fique esperto - ou pague em dinheiro ;)


Esta série vai ficar mais longa do que eu previa...oops! Semana que vem falarei sobre a Val e Vinã!

Seja o primeiro a comentar