Status de Relacionamento: Solteira

segunda-feira, 19 de junho de 2017


Teria sido ótimo se eu tivesse postado isso no Dia dos Namorados, mas a ideia só veio após ele e seus inúmeros e-mails promocionais. O fato de no mês que vem eu completar meu 27° ano de solteira (haja expertise) e alguns acontecimentos recentes também me fizeram começar a digitar as palavras aqui.

Já faz tempo que as perguntas dos namoradinhos são frequentes, mas conforme os anos vão passando e os 30 vão chegando, a pressão fica maior e a minha paciência, menor. Recentemente, meu avô perguntou o que eu, minha irmã e minha prima tínhamos em comum. Eu disse 'somos Braga?' e ele, com tom bravo, 'são solteiras!'. Detalhe: meus primos homens também são, mas é claro que a pressão é menor sobre eles. Outra pressão que sofremos? A de ter filhos! A Cinthia, do Makeup Atelier, postou um vídeo muito bom falando sobre isso aqui. Apesar de estarmos solteiras, minha avó já começou a cobrar bisnetos por ser a única entre as amigas que ainda não tem nenhum. Quem merece?

NAMORO = FELICIDADE?

Muitas pessoas que encanam com o fato de alguém estar solteiro dizem o fazer por se preocuparem com este alguém, por lhe desejarem amor, companhia e, mais tarde, uma família. A sociedade nos fez acreditar que esta é uma etapa natural e essencial da vida e que não podemos ser felizes sozinhos. Tanto que milhares de pessoas mantêm relacionamentos ou pulam de namorado a namorado com medo da solidão.

É claro que este medo não vem só da pressão da sociedade. Afinal, nós somos seres humanos e, como já estudamos na Pirâmide de Maslow, necessitamos de intimidades físicas e emocionais. Mas estar em um relacionamento sério não significa que estas necessidades serão atendidas e mesmo se forem, não garantem a felicidade.


Uma vez eu li que ter um melhor amigo é mais benéfico para a sua vida do que ter um namorado. Nunca me perguntam se eu tenho um melhor amigo mas sempre me perguntam se eu tenho um namorado. Nunca me perguntam se eu sou feliz, mas sempre me perguntam se eu tenho um namorado. Namoro não é tudo.

ALGUMAS ANALOGIAS

Eu gosto muito desse texto do Huffpost que diz que perguntar a alguém o que ela faz pode acabar com a conversa, já que nem todo mundo ama e tem orgulho do seu trabalho. Assim como nem todo mundo está feliz por estar solteiro (ou namorando/casado). A frase do fim do texto, "quem somos é algo bem mais complexo e maravilhoso do que aquilo que fazemos", também faz sentido se trocarmos a parte em itálico por "quem namoramos". Nossa vida não se resume ao outro.

E perguntar a alguém se ela esta namorando e dar palpite sobre a (falta ou excesso de) vida amorosa, ao meu ver, é tão deselegante (como diria Sandra Annenberg) quanto perguntar a uma pessoa acima do peso quanto ela pesa e sugerir uma dieta. É o mesmo que falar para quem está há três anos tentando entrar na faculdade que ela precisa estudar mais. É perguntar para o desempregado o porquê de ele (e outros 14 milhões, né) não arranjar um emprego. Nós não sabemos os objetivos das pessoas, suas lutas e seus sentimentos, e estas inquisições (n)os fazem sentir como fracassados. E isso não ajuda em nada.

NAMORAR É UM JOGO DE DOIS

Outro dia um cara da academia estava contando que a filha de sete anos disse que ela e todas as amiguinhas já tinham namorados. Quando ele perguntou se os meninos estavam cientes do namoro, ela respondeu que não. Essa fase de namorar alguém sem que este alguém saiba acaba rápido. Já na pré-adolescência o relacionamento só acontece com o acordo entre os envolvidos!

Apesar disso, algumas pessoas pensam que namorar só depende de você. Basta colocar o pé na rua para chover homens aos seus pés, implorando para te namorar. Talvez isso aconteça com algumas pessoas, mas nunca foi assim comigo. Ao contrário do que a minha família pensa, eu não estou dispensando dezenas de caras interessados porque sou muito exigente.


Eu acho que entrar em um relacionamento significa que várias coisas deram certo: os dois se sentem fisicamente atraídos um pelo outro, apreciam a companhia um do outro, têm tempo para se encontrarem e se conhecerem, estão solteiros, dispostos a começar um relacionamento sério e fazer dar certo. Encontrar um homem solteiro nesta cidade já é difícil, de modo que a probabilidade de todas as outras coisas acontecerem é próxima da de ganhar na Mega Sena. 

PORQUE EU NÃO ESTOU "À CAÇA" (E NÃO USO TINDER)

Eu sei que algumas pessoas devem ter pensado que, para chover homem, você precisa ao menos colocar o pé na rua, vulgo sair para paquerar, usar Tinder, etc. Faz sentido. Mas eu prefiro namoros que comecem através de uma amizade, ao conhecer um cara por acaso, na escola ou no trabalho. Foi assim com os caras com quem eu fiquei e (atualmente) é assim que eu gostaria que fosse com um possível futuro namorado.


Por ser tímida e extremamente introvertida, eu tenho muita dificuldade em conhecer pessoas e fazer amizades. Por isso é importante para mim que não haja nenhuma pressão extra. E paquerar é isso, mais pressão. É querer impressionar o outro com as coisas que você faz ou fala, é se preocupar ainda mais com a sua aparência, é esperar (ou não) um WhatsApp no dia seguinte.

O Tinder é ainda pior. Escolher por fotos na tela do celular? Ficar naquela conversinha quando você sabe que ele provavelmente está tendo esta mesma conversinha com outras? Encontrar esse cara x? Caras que muitas vezes não estão atrás de um relacionamento e ficam bravos se o encontro não acaba do jeito que eles querem (meu amigo uma vez me disse "a mina do Tinder não quis nem dar um beijo, aposto que só saiu para ganhar um jantar"). Eu não condeno quem usa Tinder, sei que tem casos de sucesso, já pensei em usar e talvez use um dia. Mas por enquanto eu passo.


SER SOLTEIRA NÃO É O FIM DO MUNDO

Então eu estou solteira, não porque eu não quero ficar com ninguém, nem porque eu sou muito exigente, mas porque eu não encontrei ninguém e também não pretendo ficar que nem louca procurando porque ser solteira não é o fim do mundo! Não preciso me preocupar em conhecer a família dele (e, pior, apresentá-lo a minha), em comprar presente de aniversário/dia dos namorados/aniversário de namoro/Natal/esqueci de algum?, em gastar dinheiro em encontros, em engordar nestes encontros e por aí vai. Temos que ver o lado bom das coisas, certo? E ser solteira tem muitos lados bons!


Se você leu tudo isso ou se pulou direto pra cá, o importante é que entenda que ser solteira(o) não é o fim do mundo, não é estranho e não é errado! E que, assim como "em briga de marido e mulher não se mete a colher", ninguém deve dar palpite na vida amorosa do outro (a menos que a pessoa peça conselhos ou queira ser arranjada). Por último, ninguém tem o direito de fazer o outro se sentir inferior ou fracassado por não estar namorando, casado ou por não ter filhos.  

2 comentários:

  1. Adorei o texto, mas faço parte do grupo que está querendo um namorado pra você. Preciso rever meus conceitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode querer um namorado para mim (um que me ame e me trate bem) e seis números certos na Mega Sena! Você só não pode me cobrar se estas coisas não acontecerem, nem achar que elas são garantia de felicidade.
      Te amo!

      Excluir